PVE encerra terceiro ciclo com envolvimento da comunidade e melhorias nas gestões escolares

O terceiro ciclo do Parceria Votorantim pela Educação – PVE, encerrado no início de dezembro, foi momento de acelerar as ações de mobilização e de estreitar laços com a comunidade. O programa atua, desde o primeiro ciclo, iniciado em abril, diretamente com as gestões de escolas municipais em 53 municípios brasileiros, contribuindo diretamente com melhoria da educação no Brasil, a causa do centenário da Votorantim. 

Em municípios como Ribeirão Claro, no Paraná, os projetos de mobilização, que atenderam ao tema “Espaços como ambiente de aprendizagem”, foram concluídos antecipadamente. Houve um trabalho de mobilização para que a comunidade fosse engajada para a revitalização de um campo de futebol e de um prédio próximo ao campo. “A comunidade foi pedir pneus em lojas de construção, todos doaram, ninguém negou, foi impressionante”, compartilhou Raquel de Lucca Camargo Lima, técnica mobilizadora pela Secretaria de Educação. 

Já em lugares como Pinheiro Machado, no Rio Grande do Sul, a temática “Gestão Democrática” foi colocada em prática com planos de ação para que os conselhos escolares (formados por pais, alunos, professores, funcionários e outras pessoas da comunidade) e grêmios estudantis (formados apenas por alunos) sejam instituídos pela rede municipal de educação. Destacam-se também os resultados do município no INDIQUE*. 

Fernanda Pinto Silveira, formadora pelo Comunidade Educativa CEDAC (parceiro técnico do PVE), comentou sobre o ciclo: “O bacana é que em Pinheiro Machado, em algumas escolas, já estão acontecendo ações desses planos que definimos em reuniões de gestão escolar. Como na Escola Municipal de Educação Infantil Profª Tânia Maria Silveira Cardoso, em que foi apontado ‘Segurança’ como um indicador a ser melhorado. Por isso, o conselho escolar promoveu uma palestra com o Corpo de Bombeiro para ensinar aos funcionários da escola sobre combate a incêndios”.   

Em municípios com temática “Educação Inclusiva”, como Rio Branco do Sul, no Paraná, o principal objetivo do ciclo foi propor um debate sobre como a sociedade pode entender a inclusão de forma mais ampla, como diferenças raciais, étnicas e sociais e não somente com a inclusão de pessoas portadoras de alguma deficiência. Houve a elaboração de uma carta assinada por pessoas da comunidade para ratificar o compromisso com a inclusão. “A gente espera que todo mundo se comprometa, vista a camisa sem olhar as diferenças. Somos diferentes, mas, ao mesmo tempo, somos iguais”, comenta Denise Teixeira, técnica de mobilização pela consultoria especializada em educação pelo CEDAC. 

Para o quarto ciclo, todos os municípios participantes organizarão eventos de celebração com gestores escolares e com as Secretarias de Educação para compartilharem o que foi feito no âmbito da gestão, e também um evento de mobilização, aberto para a comunidade, para divulgarem os resultados alcançados ao longo do ano. 

*O INDIQUE (Indicadores da Qualidade da Educação Infantil) é um método que propõe a aplicação de indicadores em escolas por meio de questionamentos, como “A direção consegue informar toda a comunidade escolar sobre os principais acontecimentos da escola?” Com os resultados, é feita uma análise sobre o que deve ser feito para a melhoria do ensino.

Deixe seu Comentário

* Campos Obrigatórios