Alumínio da CBA ou CBA de Alumínio?


Tudo começou na fazenda Santo Antônio, a qual abrigava a fábrica de cimentos Rodovalho, que hoje estaria localizada no município de Alumínio. O espaço foi comprado pelo português Antônio Pereira Inácio, que passou a obter bons retornos com o ramo de cimento. Em 1935, ele decidiu ampliar seus negócios e construiu a grande fábrica Santa Helena, no município de Votorantim, que começou a produzir o “Cimento Votoran” – que mantem o mesmo nome até os dias de hoje.

Com seu olhar empreendedor, Antônio percebeu, à época, a oportunidade de também operar na exploração do minério da bauxita para a produção de alumínio. Em 1941, ele e seu genro, José Ermírio de Moraes, viram na fazenda Santo Antonio a oportunidade de construir uma indústria focada na produção do metal. O local era estratégico pela proximidade com São Paulo (principal consumidor) e Santos (com grande porto exportador e importador).

O nome escolhido para a nova empresa foi Companhia Brasileira de Alumínio (C.B.A), que teve sua inauguração em 04 de junho de 1955, empresa hoje conhecida mundialmente.
“Nossa vida vivia em torno do cimento da fábrica Santa Helena. Com a fundação da CBA, tudo começou a mudar. A Votorantim construiu várias casas em torno da fábrica para os empregados. Muitas pessoas de fora começaram a vir para cá”, conta Benedito Dias, morador de Alumínio e aposentado pela CBA, onde foi empregado por 32 anos, assim como seu pai, que também se aposentou na fábrica.

Assim, nascia o então bairro de Alumínio. As primeiras casas foram construídas para abrigar os engenheiros, pedreiros, especialistas em instalação de maquinário e empregados do escritório.
“A CBA construiu um centro comercial e um cinema, além de manter um time de futebol da segunda divisão que treinava no estádio com o nome do José Ermírio de Moraes. A CBA mantinha, praticamente, toda a parte social”, comenta Benedito.

Com o passar dos anos, a produção da indústria trazia ainda mais frutos para o local. Alumínio foi então elevado à categoria de Distrito de Mairinque, em maio de 1980, sendo estabelecidas suas divisas com os municípios de Sorocaba, Votorantim e Ibiúna. Em 1991, um plebiscito junto à população disse sim à emancipação e, em 31 de dezembro, Alumínio passou a ser oficialmente considerada um Município autônomo.

Para conferir a história do Jeferson Dias, filho do Seu Benedito Dias, entre na aba “Minha Votorantim” e aproveite para conhecer vários outros depoimentos de empregados!

Galeria de Imagens

Deixe seu Comentário

* Campos Obrigatórios